FacebookTwitter Hoje é quinta-feira, 17 de abril de 2014
PLANTÃO   |   NEWSLETTER
 
 
 

Cadastre-se

Faça seu cadastro e tenha acesso ao arquivo, à seção múltipla e às promoções.
 
 
 
A Voz da Cidade

Plantão da Voz da Cidade

Ciclista é atropelado na Lúcio Meira saiba mais Idoso é preso por porte ilegal de arma de fogo saiba mais
BARRA MANSA Previsão para todas as cidades
19º 23º
MÍNIMA
MÁXIMA
 
 

TAGs

 
 

Cadastre-se

Faça seu cadastro e tenha acesso ao arquivo, à seção múltipla e às promoções.
 
 

   

Adolescente morre após cair de torre na Vista Alegre

FOTO: REPRODUÇÃO FACEBOOK
A adolescente morreu após ter caído de uma torre de telefonia

BARRA MANSA

Foi sepultada na tarde de ontem Gilmara Gomes de Lima, de 17 anos. A adolescente morreu após ter caído de uma torre de telefonia, localizada na Rua Boa Vista, no Loteamento Aiuruoca, na Vista Alegre. O acidente ocorreu no fim da manhã de domingo e está sendo investigado pela 90ª Delegacia de Polícia.

No momento da queda, Gilmara estava com um vizinho, Tiago Lopes de Araújo, de 18 anos. O jovem, que trabalha com o namorado da vítima e a conhece desde que foi morar ao lado de sua casa, há cerca de quatro meses, prestou seu depoimento à polícia no mesmo dia e contou que o acidente decorreu de uma brincadeira.

Segundo Tiago, Gilmara o chamou na porta de sua casa, por volta das 11 horas, e ficou conversando com ele e um primo. O jovem disse que havia bebido vinho e que, enquanto conversava, bebia cerveja. A adolescente teria, de acordo com ele, pedido um pouco de vinho e teria bebido meio copo.

Conforme relatou aos policiais, assim que acabaram de beber, Tiago e Gilmara encontraram-se com a irmã da adolescente e outra amiga, um pouco mais à frente, onde ficaram conversando. O rapaz, para chamar a atenção das jovens, disse que subiria na torre, porém, apenas se aproximou do portão e voltou ao encontro das meninas. As moças o teriam desafiado dizendo que sabiam que ele não subiria.

O rapaz teria, então, voltado à porta de sua casa, onde bebeu mais e conversou com seu primo e Gilmara. Dali, sem dizer nada, ele partiu em direção à torre e subiu as escadas.

Tiago disse que, quando estava na metade da escadaria, percebeu que Gilmara o seguia. Ele teria pedido que ela descesse, mas, ela não obedecia. Segundo o rapaz, depois de muito insistir, ela teria concordado em descer, porém, alguns degraus abaixo, começou a soltar as mãos e a se debater jogando-se para trás. O jovem contou que imaginou que ela estivesse brincando, mas, segurou um dos seus braços. Nesse momento, Gilmara teria pedido que ele a “deixasse”, o que o preocupou e o levou a pedir ajuda a um rapaz que passava na rua.

O conhecido correu para atender ao chamado, mas, quando chegava próximo ao portão da torre, o acidente ocorreu. Segundo Tiago, o braço de Gilmara escorregou e ela caiu.

A adolescente foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e levada à Santa Casa, onde sua morte foi constatada. O rapaz, que ficou muito nervoso, também precisou ser levado pelo tio ao hospital a fim de ser medicado. Gilmara foi sepultada no Cemitério Municipal, às 15 horas.

Família questiona versão de testemunha

Após o sepultamento de Gilmara, familiares retornaram à torre. No local, a tia da adolescente conversou com a reportagem e disse que Tiago deve ser responsabilizado pelo acidente. “Ela saiu conversando com ele e ele começou a dar bebida. A mentalidade dela era de criança e ela não tinha costume de beber. Ele deu cerveja e vinho pra ela e a incentivou a subir na torre. Ela sempre morou aqui e nunca tinha subido antes. Ela não teve culpa, o culpado foi ele”, disse Zana Andreia da Costa, de 37 anos.

De acordo com a tia, a menina sempre fazia o que mandavam que ela fizesse, pois “não tinha juízo”, e que todos os conhecidos sabiam disso. “Ele não socorreu. Depois que ela caiu, foi correndo pra casa. A gente não se conforma com isso”, lamentou.

Uma vizinha, a vendedora Eli Gomes, de 50 anos, responsabilizou as empresas de telefonia detentoras da torre. “Eu cansei de pedir para colocarem um cadeado nesse portão. As pessoas vinham aqui fumar maconha e subiam na torre. Cansei de pedir para trancarem o relógio. As crianças podem enfiar a mão ali e alguém morrer eletrocutado. Eu vivo amarrando arame ali”, reclamou. 

Postado em 04/02/2013 15:01:05

 
 
 
   
Outras notícias
18/01/2018 Casal fica sob a mira de armas e tem caminhão levado por assaltantes
27/06/2014 Mãe é suspeita de abandonar bebê em estrada
16/04/2014 VANS DA POLÍCIA MILITAR PROMOVEM EXAMES PERIÓDICOS
 
Comentários
01  Brincadeira mais idiota. que Deus conforte a familia.
| 04/02/2013 15:46h
02  MEUS PÊSAMES A FAMÍLIA! QUE DEUS OS CONFORTE! Só não entendi porque ela pediu que ele a "deixasse" depois de segurá-la pelo braço pq ela estaria com os braços para trás se debatendo (como se ...mais
| 04/02/2013 21:02h
03  eu conhecia a menina e ela fazia sim tudo q a pediao para ela fazer e desejo força para familia adeus gilmara ass;ari
| 07/02/2013 18:11h
04  ela me chamava de irma fico muito triste quando vejo a foto
| 19/02/2013 11:15h
 
 
Envie seu comentário
* Nome:
* E-mail:
Telefone:
 
   
* Comentário:  
Declaro expressamente que li as Condições Gerais
e aceito seus termos de forma integral. 
 

Economia

Nissan do Brasil inicia atividades em Resende
Agricultores de Floriano recebem certificação de produtos orgânicos
 
Rechuan recebe Dilma e Pezão na inauguração da Nissan
 
ITATIAIA
Prefeitura prorroga prazo do Programa de Recuperação Fiscal
 
 

Variedades

'Temos Vagas' retrata vida de jovem do interior na capital Fluminense
Aniversário da Ponte Velha é comemorado com exposição e auto
Exposição mostra história de Pereira Passos
Patrícia Correa: a arte de fotografar bebês
 
Arquivo  |  Expediente  |  Assine   |   Anuncie  |   Pautas e Denúncias  |  Newsletter  |  Fale Conosco  |  Mapa do Site
© 1999 – 2011. Todos os direitos reservados.